Infraestrutura de campo

Última Atualização: Quinta, 15 Dezembro 2016 Produção

Parte das pesquisas de pesquisadores e alunos são desenvolvidas nas Reservas Biológicas e Estações Experimentais de pesquisa do INPA. As três principais reservas florestais do INPA (Reserva Ducke, ZF-2 e Reservas do PDBFF) estão localizadas a até 90km de Manaus, têm acesso via estrada asfaltada e contam com alojamento, refeitório, equipamento de rádio e transporte regular. As três reservas possuem status de sítio PELD (Pesquisa Ecológica de Longa Duração), equivalente nacional aos sítios LTER (Long Term Ecological Research Sites).

Localização de algumas reservas do INPA em relação a Manaus e a BR-174:

1 - Reserva Biológica do Cuieiras

2 - Estação Experimental de Silvicultura Tropical

3 - Reserva da Campina

4 - Reserva Florestal Walter Egler

5 - Reserva Florestal Adolpho Ducke

6 - Reservas do PDBFF

Clique sobre a imagem para ampliá-la.

Na Reserva Ducke (10.000 ha) foi implantada uma grade de trilhas de 1x1 km de 64km2, 72 parcelas permanentes de amostragem e 4 acampamentos avançados com capacidade para 20 pessoas. Com essa infraestrutura, a Reserva Ducke passou a ser o primeiro sítio de amostragem do PPBio-Amazônia, uma iniciativa de larga escala para implementação de infraestrutura padronizada de amostragem na Amazônia.As unidades de amostragem são formadas por grades e módulos de trilhas e parcelas permanentes, com apoio logístico de instituições locais, e dispõe de uma base de dados associada com variáveis bióticas e abióticas já coletadas e integráveis com variáveis a ser medidas em novos projetos. Grande parte das pesquisas de campo dos alunos do PPG-Ecologia têm sido realizadas em grades e módulos de amostragem do PPBio na Reserva Ducke, ao longo da BR-319 e em Roraima e Rondônia.

Veja aqui todos os sítios de pesquisa do PPBio.

Projetos que investigam efeitos de borda e de fragmentação da floresta têm sido desenvolvidos nas reservas do PDBFF (Projeto Dinâmica Biológica de Fragmentos Florestais). O projeto fornece transporte, mateiros, alimentação e acampamentos ao custo de uma taxa de manutenção sem fins lucrativos.

O PDBFF é apoiado pelo convênio INPA/Smithsonian Institution desde 1980, e também organiza e apoia a Disciplina  Ecologia da Floresta Amazônica, realizada anualmente durante um mês, com docentes convidados de outras IES e do exterior. Este curso é muito procurado por candidatos do Brasil e do exterior.

O Projeto LBA (Large-Scale Biosphere-Atmosphere Experiment) e seus projetos associados mantém na Reserva ZF-2 três torres climatológicas completas, uma bacia hidrográfica instrumentada e um poço profundo para estudos de química do solo, além de uma estação de campo. 

O Projeto Amazon-FACE opera um experimento de campo na Reserva ZF2 com um conjunto de parcelas submetidas ao incremento artificial de CO2 atmosférico durante um período de 10 anos.

O Projeto ATTO (Amazon Tall Tower Observatory) instalou uma torre de 300m para pesquisas atmosféricas na RDS Uatumã, às margens do Rio Uatumã, a jusante do reservatório da hidrelétrica de Balbina.

O INPA também possui quatro bases flutuantes de pesquisa: Tarumã, Marchantaria, Catalão e Lago Calado, além de dois barcos de grande e médio porte providos com laboratórios e alojamento para até 40 pessoas, que são usados para pesquisa e ministrar cursos de campo.  

Apoio e Colaboração